Esportivas de 750 a 251 cilindradas

 São muitas as motocicletas esportivas disponíveis no Mercado Nacional, sejam aqui fabricadas, montadas ou importadas. Por esta razão nós aqui do R2motos achamos por bem abrir esta subdivisão intermediária. E só depois falarmos das que estão mais no topo em termos cilindrada e potência. Lembrando sempre que não temos a pretensão de esgotar o assunto.
Pela definição que já fizemos de motocicletas esportivas quando lançamos a postagem de “Esportivas até 250 cc, cremos também ser desnecessário falarmos sobre isto. Mas se você tiver dúvida pode acessar  a postagem citada ou outras fontes aqui mesmo no mundo na Internet.
Não estabelecemos critérios para começar a falar. Desta forma apresentaremos em primeiro lugar a Sino/Coreana/Brasileira Kasinski:

KASINSKI COMET 650 GTR – CARENADA
Texto: Nilson Silva.
Foto: Kasinski Fabricadora.

A Comet 650R é a top de linha da CR Zongshen. Quando os Chineses compraram a fábrica de moto do seu Abraão, ele já estava produzindo e muito bem este modelo com o motor coreano Hyonsong. Como em time que está ganhando não se mexe, a motorização assim como o nome da marca continuam!
E sobre a moto o que podemos dizer? dizem que é uma  bela moto e que nem tem cara de Chinesa. (particularmente não temos preconceito de origem de marca). Fala-se também em relação ao risco de roubo, que é não muito visada por larápios e em consequencia o seguro é mais em conta. Em contra partida, reclama-se muito do valor de peças de reposição, mas cremos que a CR Zongshen/Kasisnki já está dando em jeito nisso, com a expansão de sua fábrica em Manaus.
Vamos ver os dados técnicos: Motor: 647cc, dois cilindros em V, 89,6 CV a 9250Rpm. Câmbio: 6 velocidades. Zero a 100: em 6,2 segundos. Velocidade máxima: 185 km/h. Refrigeração líquida. Pneus: 120X60 aro 17″ na frente e 160X60 aro 17″ na traseira. Alimentação: injeção eletrônica . Freio: a disco duplo na frente e simples na traseira. Suspensão traseira: mono amortecida. Cores: preta, vermelha, branca/preta e preta/vermelha.Preço público sugerido sem frete: r$ 24.800,00. (duas cores)!

Nosso comentário: particularmente sinto falta da antiga cor amarela. Fala- se em dificuldade de peças de reposição, mas acho esta reclamação improcedente. A Kasinski tem investido na expansão de sua rede de concessionárias. Quanto ao alto preço das peças de reposição acho que a choradeira é geral independente da marca. Por outro lado, moto esportiva não vive quebrando a toda hora, ou será que estou errado? (desculpa aí Datena!!!). A moto é bonita potente, possui um conjunto óptico peculiar, um pequeno para brisa e tem uma boa rede de revenda e o preço é o mais barato da categoria! Vai encarar?? você decide!

SUZUKI GSXR 750 – CARENADA.
Texto: Nilson Silva
Foto: Suzuki J. Toledo.

Esta aqui é classificada pelo fabricante como superesportiva. Quando você ver a ficha técnica vai saber porque.
Bem, dizem que 750 é uma cilindrada mágica, algo que os motociclistas das 600 e das quinhetas que gostam de moto esportiva almejam. Mas a Suzuki me parece que tem um esquema de fidelização pela cilindrada, pois você pode começar com a  500, fazer um estágio na 650, ir para a 750 e ir subindo de faixa até chegar ao topo que é a Hayabusa 1300.
Vamos direto para os dados técnicos: Motor: 750cc, 4 cilindros em linha,150cv a 13.200Rpm, refrigeração líquida. Câmbio: 6 velocidades. Zero a 100: 3,5 segundos.Velocidade máxima: 272 Km/h. Freio: duplo disco na frente e Disco simples atrás. Suspensão traseira: Mono amortecida. Pneu dianteiro: 120X70 aro 17″. Pneu traseiro: 180X55 aro 17″. Alimentação: injeção eletrônica.Tanque de combustível: 17 litros. Cores: Azul branca, preta e dourada. Preço público sugerido: r$ 52.900,00.

Nosso comentário: a Suzuki é a quarta  maior montadora de motos do Brasil, mas está bem pertinho da terceira e tem um  portifólio diversificado quando o assunto é moto esportiva. Os caras sabem fazer
Em 2006 esta 7590 custava r$ 66.900,00. Acho que porque era importada. Sendo assim estamos no lucro com o preço sugerido atual. Outra coisa legal é a rede de concessionárias que é bem abrangente. Aqui em Brasília por exemplo tem umas 4 revendas.

YAMAHA XJ6N 600 (NAKED/Pelada) 
Texto: Nilson Silva.
Foto: Yamaha Motor do Brasil

      Vamos ver como nos saímos na explicação da sopa de letrinhas da segunda maior fabricante de motos do Brasil, que também vem a ser a segunda de origem nipônica aqui nas terras tupiniquins.
Lá pelos idos de 2009 a Yamaha deixou de produzir por aqui, (não me disse a causa) a FZ6. mas lançou logo em seguida em 2010 a linha XJ6, com três opções de acabamento. A XJ6N – de naked, pelada. A XJ6F de full – carenada e a XJ6S – de Semi carenada, mas que parece que já deixou de ser produzida. É mais ou menos esta a história!
Feitas as devidas apresentações vamos á moto. Nós escolhemos a Naked porque já apresentamos duas opções com carenagem de fabricantes diferentes,ok?
Dados técnicos por favor!!
Vamos lá: Motor: 4 Cilindros 600cc, 77,5cv a 10.000Rpm.Refrigeração líquida. Câmbio: seis velocidades. Velocidade final: 182 Km/h. Zero a 100: 3,8 segundos. Pneus dianteiro: 120X70 aro de 17″. Pneu traseiro: 160X60 aro de 17″. Suspensão traseira: Mono amortecida. Freios: Disco duplo na frente e simples na traseira. Alimentação: por injeção eletrônica. Tanque de combustível: 17,3 litros. Painel de instrumentos digital com contagiros analógico e 2 odômetros parciais. Cores: Branca ou preta. Preço: r$ 27.500,00 se nakedfull, (carenada
Nosso comentário: Quando da postagem desta matéria o site do fabricante estava com alguns modelos já 2011, porém esta linha estava ainda com uma versão 2009 e duas 2010. Não sei se é um bom sinal. Quanto ao preço cobrado por esta anti hornet, acho justo. agora cá pra nós: só um aninho de garantia por um produto de alto envolvimento, dona 3 diapasões?? Dê uma olhada lá na BMW Motorrad e veja o que é realmente estar comprometido com o cliente.

KAWAZAKI NINJA ZX 6R 600 – CARENADA

Texto: Nilson Silva
Foto: Kawazaki do Brasil.

A Kawazaki voltou ao Brasil em 2008, com muita vontade. Já estabeleceu uma rede de concessionárias considerável e está aos poucos “nacionalizando” seus produtos. Isto é bom! a gente sabe que as grandes marcas são globalizadas, mas se as motos foram montadas em Manuas por exemplo, mesmo com a maioria das peças vindas de fora, a gente tem  uma redução considerável no preço final. Esta marca nipônica tem um foco muito grande em motos esportivas desde 250  até 1352cc. São na verdade 8 modelos disponíveis. 
Escolhemos apresentar aqui uma  pequena apimentada a  Ninja ZX 600, classificada pela montadora como supersportiva, “comportada mas ao mesmo tempo agressiva nas resposta, precisa nos controles e confiável nas manobras”.
E nós aqui do R2motos gostaríamos de  classificá-la como enxuta e esbelta, pois pesa apenas 191 kilos em ordem de marcha.
Vamos aos dados: Motor: 599cc, 134 cv (Ram air) a 14.000Rpm, 4 cilindros em linha. Refrigeração líquida. Câmbio: 6 velocidades. Suspensão traseira: Mono amortecida.Pneus: Dianteiro: 120X70, 17 pol. Traseiro: 170X55 17 pol. Freio: disco duplo na frente e disco simples na traseira.Tanque de combustível: 17 litros. Cores: Verde, preta e branco. Preço sugerido: r$ 48.880,00 sem frete incluso, modelo 2010.
Nosso comentário: Como pode-se vê o preço não está assim tão convidativo. Não fiquei sabendo ainda do índice de nacionalização deste modelo, mas esperamos uma tendência de queda no preço com o passar do tempo. Também acho esquisito uma moto recheada de tecnologia como esta e sem ABS!

HONDA CB 600F HORNET (NAKED)
Texto: Nilson Silva
Foto: Moto  Honda da Amazônia

Com este modelo estamo encerrando a nossa apresentação de motos esportivas (ou super) de 251  até 750cc. A Hornet na versão atual está na estrada desde 2008 e não tenho dúvida de que ela é o modelo mais vendido da categoria, apesar de a Honda ter apenas ela como opção de moto esportiva produzida por aqui.
Vamos aos dados técnicos: Motor: 599,3cc, 4 cilindros em linha, 102 cv a 12.000Rpm, refrigeração líquida. suspensão traseira: Monoamortecida. Câmbio: 6 marchas. Pneu dianteiro:  120X70 17″ Pneu traseiro: 180X55 17″. Alimentação: injeção eletrônica. Freio: a disco na frente e atrás, com ABS combined opcional. Tanque de combustivel: 19 litros.  Peso seco: 177 Kg. Cores: verde e azul. Preço: r$ 36.680,00 (com freio ABS, mas você ainda tem de pagar o frete).

Nosso comentário. A gente vai ficar devendo a velocidade final e o Zera 100 desta duas motos apresentadas por último, pois não conseguimos dados confiáveis. O que eu acho desta máquina? Ela é intermediaria em quase tudo destacam-se o tanque de 19 litros e o peso de 177 Kg. Tenho contra somente  o sistema ABS ser colocado apenas como opcional.

 ADENDO: COMPARATIVO DE PEÇAS DAS ESPORTIVAS.
Por Nilson Silva.
Devido ao questionamento levantado no inicio da postagem sobre o preço de peças da Kasisnki, resolvemos fazer de forma aleatória um comparativo do preço de determinadas peças de reposição das motos apresentadas. Escolhemos o item Relação, (coroa pinhão e corrente)  e cotamos nas concessionárias das respectivas marcas em Brasilia, Distrito Federal. A pesquisa foi realizada no dia 04 de janeiro de 2011, por telefone. Veja só que legal:
– Kit relação da Kasinski Comet 650 GTR: r$ 530,00.
– Kit relação da Kawazaki Ninja ZX 600R: r$ 1.200,00.
– Kit relação da Yamaha XJ6N 600: r$ 1.400,00.
– Kit relação da Honda CB 600F Hornet: r$ 1.540,00.
– Kit relação da Suzuki GSXR 750: r$ 1.679,00.
Na minha mente as peças da Yamaha eram as mais caras e as da Honda as mais em conta, e você?
 

 

2 Comments

  1. DiegoXL 27 de junho de 2011
  2. Nilson 27 de junho de 2011

Add Comment