Brasilia Motocapital/2011, segundo o R2Motos

Lindo entardecer no Planalto Centrol

R2Motos visitou o Brasilia Motocapital no fim de tarde do dia 30 de julho.

Não há como não ficar admirado com a grandiosidade do evento. A granja do Torto se torna literalmente na “Cidade das Motos”. Logo na entrada somos recepcionados por um engarrafamento de motos, mas nada que chegue a assustar. Após meia hora de stop and go, em sentido único e já ao lado do palco principal, finalmente um lugar para estacionar.
A “Cidade das Motos” tem uma praça central com um grande palco e outros espalhados por todo o perímetro.  Os moto clubes são instalados em tendas nas bordas das ruas e as barracas ficam geralmente  após as tendas mais para o fundo.
Carlos e Helenice, o casal andarilho.

Existem no Parque de Exposição da Granja do Torto lanchonetes, bares, bancos 24 horas, loja de conveniência restaurantes, roupas, concessionárias de moto e comércio diversificado de acessórios e produtos que tenham relação com o mundo das duas rodas

No Departamento de Trânsito do Distrito Federal existem aproximadamente 150 mil motos registradas. Um número pequeno se comparado com a maioria de outras unidades da Federação. Mas quando se trata de eventos relacionados a motociclismo, o pessoal daqui tem as manhas de arrebanhar. O Brasilia Motocapital de 2010 juntou aproximadamente 180 mil. O Red Bull MotoCross free style de maio deste ano teve mais de 100 mil visitantes e neste a estimativa segundo Marco Portinho organizador do evento é de 250 mil motociclistas de todo o Brasil,  Argentina, Chile, Uruguai, Paraguai e até da França.
Conversamos com Carlos “Pezão” e sua esposa Helenice ambos de 36 anos, do estado de Minas e que resolveram adotar um modo de vida diferente. Trabalharam duro economizaram um tempo, compraram uma moto e estão na estrada há cerca de 2 anos. Já percorreram as Américas do Alaska á Patagônia. Também já foram para Europa  e querem ir para a África. Parar? Só quando não tiver mais grana, segundo Carlos. O casal afirma que é possível andar por longas caminhos conhecer  vários países gastando relativamente pouco. Aproximadamente um terço do que se gasta normalmente. Bastando para tanto apenas abrir mão de certos luxos, perfeitamente dispensáveis. Vieram de Petrolina-PE, para o Brasilia Motocapital e daqui vão para Tocantins, Pará, Acre, Rondônia e Amazonas antes de ir para o Continente Africano.
Entre as atrações podemos destacar cursos de primeiros socorros, de condução em rodovias, Globo da morte, Telecatch, Banda Gospel, Marcelo Nova, Made in blues, Rock Forever, The Feveres e muito mais. Merece mensão especial a exposição de motos Clássicas, basicamente com modelos das décadas de 70 e 80, com destaque especial uma Yamaha RD 350 ano 74, vermelha reluzente,  de fabricação japonesa, mas que ganhou o alcunho de viúva negra.
Motos Clássicas dos anos 70 e 80

Um abraço muito especial para o Portinho organizador deste grandioso evento e para a moça da RP a Luara, pela atenção e presteza que nos foi dispensada.

2 Comments

  1. Anonymous 26 de agosto de 2011
  2. Nilson 26 de agosto de 2011

Add Comment