Produção de motos está aquém da demanda

Fenabrave informa que vendas seriam maiores se não houvesse problemas com falta de peças.

Ao contrário do mercado de automóveis, que ainda não retomou patamares de um ano atrás, o de  motocicletas fechou agosto com alta tanto em relação a julho como no comparativo com o mesmo mês de 2019. As vendas somaram 95.998 unidades, 12,5% a mais do que as 85.171 do mês anterior e 8,3% maiores do que as de agora do ano passado (88.651).

“Com a retomada de parte da produção pelas montadoras, os volumes de emplacamentos vêm crescendo para atender à demanda reprimida. Contudo, ainda permanecem problemas de produção, pela falta de peças e componentes”, informa o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior.

Na avaliação do executivo, o resultado negativo do ano reflete, em parte, a falta de produtos no varejo. Ou seja, se a produção fosse maior o recuo seria menor do que os 25% registrados no acumulado de janeiro a agosto deste ano, quando as vendas atingiram 531,4 mil motos, ante às 708,8 mil do mesmo período de 2019.

Add Comment